Pesca Predatória

  • Sobrepesca

É aquela que apesar de ser realizada da maneira correta, devido o grande volume de esforço de pesca, acaba retirando do meio ambiente, mais do que ele consegue repor, diminuindo a população de peixes e mesmo de plantas do ecossistema.

  • Pesca Predatória

É realizada de maneira incorreta, e conseqüentemente ilegal, é altamente agressiva com o meio ambiente. A pesca predatória tem conseqüências desastrosas, podendo limitar a produtividade pesqueira, quer seja do ponto de vista biológico, quer econômico.

A pesca predatória retira do ambiente aquático mais do que ele consegue repor, levando a consequências desastrosas: pode limitar a produtividade pesqueira – com impacto social – e comprometer o equilíbrio ecológico.

  • Exemplos

-Pesca com bomba – considerada de alto valor destrutivo, afetando a fauna, a flora e o substrato. Em varias parte da região ainda é praticada não só é predatória como é poluidora devido os materiais que é usado para sua fabricação.

-Pesca com rede de malha fina – um dos maiores problemas é o uso de redes com malha menor do que o permitido. Com isso, captura-se seres muito jovens. Esta prática leva, inevitavelmente, à escassez de peixes e, a longo prazo, à extinção de várias espécies, pois quando capturados muito jovens ainda não tiveram a oportunidade de reproduzir-se.

-Pesca do camarão com rede de arrasto – utilização de extensas redes que ao serem puxadas entre dois barcos pesqueiros (parelhas) varrem o fundo do mar. É uma prática extremamente nociva à biodiversidade marinha, pois a rede revolve o substrato e arrasta tudo que encontra pela frente, destruindo o habitat daquelas espécies que vivem no leito oceânico e coletando um excesso de animais que acabam sendo desprezados, por não possuírem valor comercial.

-Pesca em época proibida (defeso) – Realizada normalmente no Período de reprodução dos animais, acaba prejudicando o repovoamento do ambiente aquático.

 -Pesca seletiva com descarte – algumas modalidades de pesca são incrivelmente seletivas e altamente predatórias. Captura-se o animal para obter uma pequena porção de seu corpo, descartando a maior parte de sua estrutura física no próprio local da pesca. Isso ocorre por exemplo com a retirada das barbatanas dos cações.

 -Pesca com Venenos (timbó): Afeta todo o meio ambiente, inclusive trazendo complicações diretas ao Homem.

 -Pesca de Curral – Praticamente apreende todos os peixes, grandes, pequenos, de valor comercial ou não; e impedem que os cardumes passem pelos canais para se reproduzirem, condenando o ciclo de vida de forma predatória.

-Tapagem de Igarapé – Realizado com talas, cipós, varas e rede nos igarapés não podem ser utilizados para a pesca, porque agridem os animais e trazem desequilíbrio ecológico. Isso porque, todo tipo de animal aquático é preso. Independente do tamanho ou período reprodutivo.

 -A pesca predatória é feita por pescadores e também por grandes embarcações, pois na época que está no defeso, entram em nossos lagos e levam bastante pescado.

 – Os grandes arrastões: Nos lagos no período do verão. Que arrastam e levam os peixes maiores jogando os menores já mortos na água.

– As grandes bobuias: É uma pesca que também e prejudicial nos rios amazonas e tapajós, devido a quantidade de malhadeiras que é usada em frente as comunidades, tomando o espaço do pescador de pequeno arreios. E muitas das vezes desrespeitando os acordos e conselhos de pesca na região onde existe.