Arquivos do Blog

Reestruturada, CPP Norte realiza reunião de planejamento para os próximos três anos

O Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP) Norte da CNBB Regional Norte 2 está em reunião desde o dia 01 de dezembro, para realizar a avaliação de planejamento 2012 – 2014.

Estão presentes grupos e agentes de pescadores das cidades de Santarém, Óbidos, Cametá, Bragança, Aricuru, São Sebastião da Boa Vista e Aranai, estas duas ultimas pertencem à ilha de Marajó; Luiz Eduardo de Souza assessor de metodologia do Centro de apoio e Iniciativa Sociais (CAIS) e Maria José Honorato Pacheco, Secretaria Nacional do CPP.

O objetivo geral do planejamento (2012 – 2014) abordado na reunião que termina amanhã, dia 03, é promover a organização dos pescadores em âmbito local, regional e nacional. Dessa forma os pescadores podem preservar o meio ambiente, defender os seus direitos e territórios ameaçados pela poluição e pesca predatória e conquistar melhores condições de vida.

mod1

Para a secretaria do CPP Nacional, cuja sede fica em Olinda, participar das reuniões de planejamento é muito importante, é uma forma de acompanhar o caminhar das pastorais, e acrescenta “O CPP do Norte está se reestruturando e pra gente é uma alegria muito grande tá presente, vendo que o pessoal pôde caminhar ano passado e se reestrutura nesses dois anos, e agora estão fazendo o planejamento para o próximo ano, a partir dos desafios dos pescadores e pescadoras”.

Segundo Maria José Pacheco, as linhas de ação que norteará o planejamento dos próximos três anos do CPP são: a afirmação do território e meio ambiente, a questão do direito previdenciário, direito a moradia, políticas públicas e a geração de trabalho e renda, ocasionado uma melhor condição de vida. Além disso, irá se buscar o fortalecimento da pastoral, das equipes regionais e diocesanas.

CPP Norte é exemplo de trabalho com pescadores para o Brasil

De acordo com a secretaria do CPP Nacional, Maria José Pacheco, o CPP Norte é referência no desenvolvimento de trabalho com as comunidades de pescadores.

Foi a partir do Seminário de Poluição, Pesca Predatória e Meio Ambiente, realizado este ano pela CPP Norte, que foi possível construir um modelo mais dialógico com as comunidades, de forma participativa e colaborativa, para desenvolver acordos de pesca.

Segundo a secretaria do CPP Nacional este exemplo “é modelo para o Brasil inteiro, de construção de acordo de pesca, que efetivamente, a partir dos pescadores é feito a discussão propondo um modelo de desenvolvimento com a pesca, após isso buscam os órgãos públicos para que possam emitir normativos, e depois constroem instrumentos legais que a partir disso vão proibir as práticas predatórias.”

E enfatiza: “No Pará e principalmente o baixo amazonas, com o apoio do CPP Norte, tem sido uma referência desses acordos de pesca, é uma nova forma de gestar os recursos, o território, a partir das comunidades de forma participativa e de forma que as comunidades se comprometem com esse modelo sustentável então isso é modelo para os outros Estados.”